Lago

A semântica da casa é composta por um jogo de volumes brancos e cúbicos, entrecortados por lâminas de pedra, e réguas de madeira debruçadas sobre a piscina azul-escura, que faz as vezes de espelho d’água.

Ano

2009

Área

951m²

Categoria

Residencial

O Lago Guaíba, para o qual esta residência é voltada, e a mata nativa circundante, clamavam por um projeto integrado ao entorno.

CASA DO LAGO

Localização: Porto Alegre/RS

Ano: 2009

Área Construída: 951,24m²

Área do Terreno: 3237,39m²

Projeto Arquitetônico: Stemmer Rodrigues

Equipe: Ingrid Stemmer, Paulo Henrique Rodrigues, Roberto Stemmer, Luciana Medeiros, Renata Lui, Francine Azevedo

Fotos:Carlos Edler

Do Lago

A semântica da casa é composta por um jogo de volumes brancos e cúbicos, entrecortados por lâminas de pedra, e réguas de madeira debruçadas sobre a piscina azul-escura, que faz as vezes de espelho d’água.

O Lago Guaíba, para o qual esta residência é voltada, e a mata nativa circundante, clamavam por um projeto integrado ao entorno. A casa tem permeabilidade visual para a praia através do abrigo dos carros, nos vãos dos degraus da escada interna, nas grandes aberturas da sala e nas sacadas superiores, que descortinam a paisagem constantemente.

A semântica da casa é composta por um jogo de volumes brancos e cúbicos, entrecortados por lâminas de pedra, e réguas de madeira debruçadas sobre a piscina azul-escura, que faz as vezes de espelho d’água.

Este diálogo entre os materiais estende seu efeito pelos interiores da residência, confirmando o estilo exterior. Grandes painéis de madeira ocultam as portas de entrada, do lavabo e da chapelaria. A parede em pedra serve de pano de fundo para a lareira retilínea em concreto e granito fosco.

Por fim, os decks em madeira sobre a vista cercam a piscina e confundem-se, no mesmo plano, com o piso em tabuão do living, reforçando a integração dentro-fora.